Como é calculada a conta de energia

Como é calculada a conta de energia

15/01/2020

A conta de energia elétrica aparece mensalmente no orçamento de todos os brasileiros, mas você já parou para pensar sobre como esse valor é calculado? Além de descobrir para onde vai seu dinheiro, entender como essa conta é feita pode te ajudar na hora de perceber erros e injustiças no valor final. 

Preço x Tarifa

O preço de uma conta nada mais é que a tarifa final multiplicada pelo consumo mensal de energia em kWh. Entenda um pouco mais sobre esses fatores: 

Tarifa: é o valor cobrado pelos serviços de geração, transmissão e distribuição de energia. Cada estado pode estabelecer sua própria tarifa. 

Tarifa final: É a soma da tarifa fixa com os impostos (CMS e PIS/COFINS).

Consumo mensal: Toda casa tem um medidor que indica quanta energia foi consumida durante um período de tempo. O consumo mensal é calculado pela diferença entre a leitura do mês atual e a leitura do mês anterior. 

Valor final: tarifa final x consumo mensal de energia (em kWh) 

Na sua casa, você pode descobrir quanto cada aparelho consome de energia, basta multiplicar a potência em kW, geralmente indicada na embalagem ou estampada no produto, pela quantidade de horas que ele passa ligado. 

Bandeiras tarifárias

Com certeza você já ouviu falar nelas! O Sistema de Bandeiras Tarifárias foi implantado no Brasil em 2015, e desde então ele influencia diretamente no preço final na conta de luz. As bandeiras são definidas de acordo com as condições de geração de eletricidade do mês. 

Como uma grande parte da energia do Brasil é gerada em usinas hidrelétricas, a produção de energia depende da quantidade de água disponível nos reservatórios. Nos meses em que o nível dessa reserva diminui, usinas termelétricas são acionadas para poupar água. Entretanto, o custo para produzir energia nessas usinas é maior, já que são movidas a gás natural, carvão, óleo combustível e diesel. Por isso, nessas ocasiões a conta de luz passa a ter alguns acréscimos. 

O que significa cada bandeira? 

Bandeira verde: condições favoráveis, as usinas termelétricas não são acionadas. A tarifa não sofre nenhum acréscimo. 

Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,01343 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos; 

Bandeira vermelha - Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,04169 para cada quilowatt-hora kWh consumido. 

Bandeira vermelha - Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,06243 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

Verdade ou mentira?

Aparelhos com tensão 220v gastam menos energia do que os de 110v. 

Mentira. As indústrias costumam usar tensão 220v para economizar na hora de produzir  cabos e fios, já que quanto maior a tensão, menor é o fluxo de corrente elétrica e, portanto, mais finos serão esses cabos. Não há diferença significativa no consumo de energia entre um aparelho 220v e 110v. Mas fique ligado: ligar um aparelho 110v em uma tomada 220v, pode prejudicar o funcionamento e até queimar o equipamento.

Lâmpadas de LED são mais econômicas do que as fluorescentes.

Verdade! A longo prazo, as lâmpadas de LED são bem mais vantajosas. Apesar de as fluorescentes custarem menos, elas queimam mais rápido. 

Deixar os aparelhos em standby não gasta energia.

Mentira. Apesar de o consumo reduzir significativamente, ele não fica nulo. Um levantamento recente revelou que desligar aparelhos, como TV e video-games quando não estão sendo utilizados pode gerar uma economia de aproximadamente R$142,00 ao ano.  

Passar as roupas aos poucos é mais econômico do que esperar que as peças se acumulem.

Mentira. Como o gasto de energia do ferro de passar é causado pelo aquecimento do aparelho, passar todas as roupas de uma vez acaba sendo mais econômico do que passá-las aos poucos.

Secar roupas atrás da geladeira aumenta o consumo elétrico.

Verdade! Para que o eletrodoméstico consiga transferir o calor do lado de dentro para o lado de fora, as grades da parte de trás do refrigerador precisam estar livres. Se houver um obstáculo, fica mais difícil dissipar o ar quente e mais energia é necessária. Por isso, pendurar roupas úmidas na parte de trás da geladeira causa aumento do consumo de energia e a sobrecarga.

Compartilhe nas redes sociais

Matérias Relacionadas

Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, analisar tráfego e proporcionar uma experiência mais segura para os nossos usuários. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações. Aceitar