Millennials, Geração Z e as tendências de consumo consciente

Millennials, Geração Z e as tendências de consumo consciente

23/09/2021

Se você esteve ligado nas redes sociais e telejornais nos últimos meses, certamente ouviu diversas vezes as expressões cringe, millennial e geração z. Por mais que o anglicismo que denota vergonha tenha sido um fator de embate entre essas duas gerações, elas são mais parecidas do que parecem, e se cruzam sobretudo em uma pauta extremamente atual: o consumo consciente.

O que é consumo consciente?

Consumo consciente não significa não consumir, mas sim consumir de forma lúcida, cuidadosa e com foco no futuro e na coletividade, eliminando compras por impulso e dando preferência por produtos e empresas mais éticas.  (Saiba mais sobre isso aqui).

Vivemos em um momento em que a sustentabilidade sócio-ambiental atingiu índices alarmantes. De acordo com o Global Footprint Network, os recursos biológicos da Terra disponíveis para o ano de 2021 foram esgotados no dia 29 de julho deste ano. Isso significa que precisaríamos de quase dois planetas para dar cabo dos bens materiais utilizados anualmente pelas civilizações.

Por esta razão, as gerações nativas-ecológicas desempenharão um papel essencial na subsistência da humanidade nas próximas décadas. A geração Y, também conhecida como millennial, e a geração Z nasceram e cresceram em um período-chave em que as discussões sobre ecologia e sustentabilidade tomavam as mídias de comunicação globais. Essas discussões geraram adultos com forte consciência coletiva, mas também com uma característica que a American Psychology Association (APA) descreve como eco-ansiedade - ou solastalgia -, um medo crônico de cataclismos ambientais. 

Como consequência desse fenômeno, as gerações Y e Z passaram a desenvolver hábitos mais sustentáveis e exigir transparência das marcas e empresas a partir do momento em que se tornaram forças globais de trabalho e de consumo.

Assim, o movimento de consumo consciente se baseia não somente na conscientização acerca do impacto das decisões de compra no meio ambiente, mas também com os efeitos da mídia e da publicidade sobre os seus consumidores.

Leia também: O consumo consciente na sociedade 

Tendências de consumo

De acordo com o estudo Generation Z And Consumer Trends In Environmental Packaging, cerca de 70% dos membros das gerações Y e Z preferem que os produtos que consomem sejam alinhados com suas crenças pessoais. De modo semelhante, cerca de 66% dos consumidores da geração Z não se importam com marcas de luxo ou designs exclusivos, dando preferência para produtos com propósito. 

O estudo também considera importante o fato de que as gerações mais jovens cresceram em um mundo em que objetos do cotidiano e experiências de mídia são dinâmicas e rapidamente descartáveis, como o deslizar de uma tela. Esse costume também estaria refletido em seus hábitos de consumo.

A importância dos produtos para as geraçõesGeração ZMillennialGeração X
Alinhado com minhas crenças70%71%66%
Estar na moda67%65%51%
Designs exclusivos47%47%38%
Marcas de luxo34%42%27%

A pesquisa Tendências Globais do Consumidor 2030, da Mintel, aponta alguns dos principais condutores do comportamento do consumidor que irão definir os mercados globais pelos próximos 10 anos, sobretudo impulsionados pela pandemia de coronavírus e pela aceleração das gerações Z e millennial no mercado de trabalho e de consumo. Veja abaixo:

Confira alguns dos principais insights do relatório:

  • Consumo de produtos de beleza e alimentos serão baseados em testes individuais de DNA e tipo sanguíneo.
  • Realidade aumentada e virtual se tornarão parte da cadeia de turismo.
  • Fazendas verticais e urbanas e micro-fazendas locais irão produzir a maioria dos alimentos consumidos.
  • Esportes eletrônicos compatíveis com internet 5G ultrapassarão os esportes convencionais em popularidade.
  • Cidades inteiras serão planejadas a partir de transportes elétricos.
  • Marcas irão priorizar o planeta em vez da rentabilidade.
  • Desenvolvimento da micro-robótica na corrente sanguínea para prevenir proativamente e antecipadamente possíveis ameaças.
  • Crescimento do número de pessoas morando sozinhas, gerando uma maior demanda por animais de estimação e tecnologia smart.
  • Ar limpo como diferencial para comerciantes de rua, locais de eventos e prédios públicos.
  • Mudanças governamentais sobre o consumo de água, focando na sua filtragem e economia.

Leia também: O que são Finanças e Desenvolvimento Sustentável? 

Maneiras de se tornar um consumidor mais consciente

Embora as grandes empresas sejam responsáveis por cerca de 70% das emissões globais de dióxido de carbono, segundo o Carbon Majors Report, os demais 30% ficam sob responsabilidade individual de cada ser humano em seu dia a dia. 

É possível tornar o mundo um lugar melhor através de pequenos hábitos que podem ser incorporados na rotina de maneira simples e econômica. Inspire-se em algumas ideias e exemplos de consumo consciente:

Invista no pequeno comerciante

Segundo o SEBRAE, as pequenas empresas são responsáveis por mais da metade do emprego formal no Brasil. Apoiar os negócios de bairro estimula o desenvolvimento social do país e contribui para o meio-ambiente ao reduzir os deslocamentos de transporte veicular pelas cidades.

Separe o lixo

Não é mais novidade para ninguém que é importante separar o lixo seco do orgânico, mas você sabia que 76% dos brasileiros ainda não praticam a reciclagem? Esta estatística foi revelada pelo Índice de Sustentabilidade Urbana (ISLU) em 2020. Que tal fazer a diferença?

Opte pelo mercado de segunda mão

Ainda nem todas as pessoas estão conscientes que muitos tecidos carregam uma porcentagem de plástico em sua composição, fazendo com que o descarte de roupas seja um dos grandes responsáveis pelos impactos negativos no meio ambiente. Se possível, tente optar por comprar roupas em lojas com tecidos eco-friendly ou opte pelo consumo circular dos brechós. 

Considere aderir ao minimalismo

Movimentos minimalistas nos incentivam a questionar a real necessidade da posse material. Acostume-se a distinguir as compras realmente necessárias das desnecessárias e desperdice menos. Se você precisar substituir algo que já possui, considere consertar primeiro.

Se possível, opte por produtos cruelty-free

Os produtos que carregam o selo cruelty-free são livres de crueldade ao não efetuarem testes em animais, e também por não carregarem matérias-primas e fornecedores que apoiam esse procedimento. Normalmente, empresas cruelty-free se preocupam, além do bem-estar animal, com os consumidores ao eliminarem componentes tóxicos da composição dos produtos, e também com o meio ambiente ao fornecerem alternativas focadas na sustentabilidade.

O seu café também pode fazer a diferença

Quem não vive sem um cafezinho, mas se acostumou com a praticidade dos cafés em cápsula, pode não saber que uma simples cápsula leva cerca de 400 anos para se decompor na natureza. Portanto, às vezes, o bom e velho café coado ainda pode ser uma alternativa sustentável para as doses de energia diárias.

Preocupe-se com a origem dos produtos

Não basta apenas pesquisar a postura e valores das marcas; é preciso ter um olhar sobre toda a jornada de produção de um item, desde a origem das matérias-primas utilizadas até a publicidade final do produto. Investigue se a empresa aposta no desenvolvimento sustentável e reproduz ações de proteção ambiental.

Utilize energia renovável

As energias renováveis podem ser a resposta certa para quem se preocupa com a sustentabilidade, o consumo consciente de energia, hábitos mais saudáveis e economia financeira na conta de luz.
Além disso, essa é uma alternativa para democratizar o setor energético e contribuir para pautas sociais de grande importância. Mais do que soluções em Energia Solar, queremos utilizar a energia para mudar! Vamos nessa?

Compartilhe nas redes sociais

Matérias Relacionadas

Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, analisar tráfego e proporcionar uma experiência mais segura para os nossos usuários. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações. Aceitar