Transição energética

Transição energética: o que é, como é feita, e os benefícios

As mudanças climáticas têm prejudicado nosso planeta. Para se ter ideia, um estudo da Organização Meteorológica Mundial (OMM) apontou que há uma probabilidade de 66% de o aquecimento médio anual ultrapassar o limite de 1,5 °C entre os anos de 2023 e 2027. Por isso, a transição energética é um conceito que ganha cada vez mais destaque nos debates sobre um futuro sustentável.

Preparamos este conteúdo para que você entenda o que é a transição energética, como ela está ocorrendo no Brasil e no mundo, suas principais fontes, os impactos no clima, a importância desse processo, seus benefícios e os desafios que enfrentamos na busca por alternativas sustentáveis para o suprimento de energia.

Continue a leitura e descubra tudo sobre o tema.

O que é transição energética? 

A transição energética é um processo de mudança na forma como a sociedade gera, consome e pensa na energia. O objetivo é migrar de fontes de energia baseadas em combustíveis fósseis, como o petróleo, para fontes mais limpas e sustentáveis, como a energia solar e energia eólica.

Essa transição é necessária para reduzir a emissão de gases de efeito estufa e combater as mudanças climáticas, evitando catástrofes maiores. O conceito está diretamente ligado a dois dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). São eles:

  • 7. Energia limpa e acessível;
  • 13. Ação contra a mudança global do clima.

Transição energética no Brasil e no mundo 

Atualmente, o Brasil ocupa o quinto lugar na lista dos maiores emissores globais de gases de efeito estufa (GEE), ficando atrás da China, Estados Unidos, Índia e Rússia. No entanto, vale ressaltar que o perfil de emissões do Brasil apresenta notáveis diferenças em relação à média global.

Enquanto aproximadamente 50% das emissões do Brasil resultam, sobretudo, do uso da terra e desmatamento e 24% estão associados ao setor agropecuário, nos países do G20, em média, cerca de 70% das emissões têm origem no setor de energia.

O Brasil tem uma matriz energética mais sustentável do que a das maiores economias do mundo, conferindo ao país uma vantagem comparativa relevante no contexto da transição energética. De acordo com informações do Climate Transparency 2022, divulgadas pela Agência BNDES, nosso país se destaca com mais de 80% da geração de eletricidade proveniente de fontes renováveis, contra a média de apenas 29% nos demais países do G20.

Portanto, o Brasil tem grande potencial em se tornar destaque quando o assunto é transição energética. 

Como é feita a transição energética? 

A transição energética envolve a substituição gradual de fontes poluentes por alternativas de energia limpa. Isso implica investimentos em tecnologias mais eficientes e sustentáveis, como painéis solares e sistemas de energia fotovoltaica, turbinas eólicas e veículos elétricos, utilizando somente uma matriz energética focada em baixa ou nula emissão de carbono, baseada em fontes renováveis.

Além disso, é preciso melhorar a eficiência energética em todos os setores, reduzindo o desperdício de energia e dando total foco à sustentabilidade ambiental.

Como as fontes de energia afetam o clima? 

As fontes de energia têm um impacto direto sobre o clima do planeta. Entre os impactos causados pelos combustíveis fósseis estão a liberação de grandes quantidades de dióxido de carbono (CO₂) quando queimados, contribuindo para o aumento do efeito estufa.

Por outro lado, fontes renováveis, como a solar e a eólica, não emitem CO₂ durante a geração de eletricidade, tornando-as mais benéficas ao clima.

Principais fontes de energia de transição 

Existem diversas opções de fontes de energia geradas sem causar impacto ambiental negativo. Uma delas é a energia solar, mas muitas outras fontes alternativas que fazem parte da transição energética estão disponíveis.

  • Energia solar: obtida a partir da luz solar, é uma fonte limpa e abundante;
  • Energia eólica: gerada pelo movimento do ar, é uma alternativa sustentável;
  • Energia nuclear: uma opção de baixa emissão de CO₂, gerada a partir da fissão de átomos;
  • Biocombustíveis: produzidos a partir de matéria orgânica, como etanol e biodiesel;
  • Biomassa: utilização de materiais orgânicos para produção de energia;
  • Energia geotérmica: geração de eletricidade a partir do calor proveniente do interior da Terra.

Qual a importância da transição energética?

A transição energética é crucial para enfrentar os desafios climáticos e reduzir a dependência de fontes de energia não renováveis. Ela contribui para a estabilidade do clima, a segurança energética e a criação de empregos na indústria de energias renováveis. 

A transição energética não apenas contribui para a preservação do meio ambiente, mas também promove a segurança energética, reduzindo a dependência de combustíveis fósseis sujeitos a oscilações de preços e interrupções no fornecimento.

A diversificação da matriz energética, com a incorporação de fontes alternativas, torna a oferta de energia mais resiliente e sustentável em longo prazo, sendo crucial para garantir um futuro mais limpo, seguro e próspero para as gerações presentes e futuras.

Benefícios da transição energética 

Os benefícios da transição energética são diversos, incluindo a redução das emissões de CO₂, a diminuição da poluição do ar, a promoção da inovação tecnológica, a criação de empregos verdes e a redução da dependência de recursos finitos.

Desafios da transição energética 

Apesar dos diversos benefícios, os desafios da transição energética são muitos. Entre eles estão a necessidade de infraestrutura e investimentos substanciais, a ampliação do acesso à energia limpa para populações excluídas, a necessidade de criação de marcos regulatórios, além de novas tecnologias e infraestrutura demandarem desenvolvimento, escala e competitividade.

Outros desafios importantes são:

  • capacitação profissional para que pessoas possam lidar com as novas demandas de energia;
  • mudanças culturais e políticas para que haja maior colaboração entre empresas, governo e sociedade;
  • resistência de algumas grandes empresas.

Agora que você entendeu tudo a respeito da transição energética, que tal continuar se informando? Conheça mais sobre os impactos ambientais causados pelas fontes de energia e descubra como contribuir com o movimento sustentável!

Assine nossa
newsletter