O que é uma tempestade solar?

Para entender o que é uma tempestade solar, é preciso dar alguns passos para trás e entender primeiro o que são as atividades solares. Você provavelmente já sabe que o Sol é uma estrela e, para que ela consiga emitir a luz e o calor que chegam à Terra, gigantes reações químicas acontecem a todo o tempo em seu interior. Essas reações são o que chamamos de atividade solar. 

Resumidamente, o Sol funciona como um grande reator termonuclear, que dispara para o espaço enormes quantidades de radiação, fenômeno também conhecido como “vento solar”. Adicionalmente, ele também emite energia em forma de luz e partículas eletricamente carregadas, como explica um artigo publicado pelo Canaltech. 

De acordo com o site, a combinação dessas e de outras reações no campo solar dão origem ao clima espacial, que pode ser dividido em quatro categorias principais: erupções solares, ejeções de massa coronal (EMC), vento solar de alta velocidade e emissão de partículas energéticas solares.

Como se formam as tempestades solares?

A tempestade solar ou tempestade geomagnética é um clima espacial bastante normal. No entanto, segundo um artigo do site Science Alert, quando a atividade solar se intensifica, os ventos solares provocam “buracos” na coroa do Sol, uma região de plasma menos densa e mais fria da atmosfera solar.

Esses buracos permitem que os ventos solares escapem mais facilmente, soprando, em alta velocidade, radiação eletromagnética para o espaço.  Se a região aberta estiver voltada em direção a Terra, esses ventos podem soprar direto para nós.

Assim, quando uma onda de choque provocada pelos ventos solares atinge o campo magnético do planeta e causa perturbações temporárias, temos o que chamamos de tempestades solares. 

Você viu: Os benefícios do Sol para a nossa vida

Quais são os efeitos das tempestades solares?

De acordo com o site da Sociedade Científica, o campo magnético da Terra funciona como uma proteção natural contra os ventos  solares. Por isso, quando eles atingem o planeta, são normalmente freados ou desviados. Apenas uma pequena parte consegue adentrar a nossa biosfera.

Os efeitos das tempestades solares podem ser um tanto quanto inconvenientes. As partículas emitidas pelo Sol são extremamente carregadas, podendo danificar sistemas de telefonia e internet, objetos eletrônicos ou até mesmo destruir satélites artificiais que circundam a Terra.

No entanto, nem todos os efeitos das tempestades solares são negativos. É a interação dessas partículas com o campo magnético que causa os espetáculos luminosos nos polos do planeta, as auroras boreais e austrais. 

Leia também: Como a energia solar ajuda na redução dos desastres naturais

O que é a aurora boreal e a aurora austral?

As auroras são caracterizadas por pontos luminosos no céu que se movimentam de forma circular ou horizontal de acordo com o campo magnético da Terra. Quando uma aurora acontece no Hemisfério Norte, é chamada de boreal, quando acontece no Sul, de austral. 

Verde, azul, amarelo, laranja e vermelho. As cores da aurora podem variar muito e são formadas de acordo com os gases presentes quando as partículas solares entram em contato com a atmosfera.

É importante destacar que as auroras não são um fenômeno exclusivamente terrestre, qualquer corpo espacial que tenha um campo magnético, como os planetas Júpiter, Marte e Vênus, por exemplo, podem experienciá-las.

Quais foram as tempestades solares mais marcantes da história?

Como mencionamos anteriormente, quando as tempestades solares chegam de forma intensa na Terra, elas podem causar alguns danos, especialmente nos equipamentos eletroeletrônicos. Apesar de raros, alguns efeitos negativos das tempestades marcaram a história, conheça esses eventos:

1859

Neste ano, acontecia o Evento Carrington, a tempestade solar mais forte já registrada no planeta. Entre as suas consequências, redes elétricas se incendiaram e linhas de telégrafo foram rompidas. Durante o evento, auroras boreais puderam ser vistas de lugares improváveis, como nos Estados Unidos e sul da Europa.

1972

No início dos anos 70, um evento curioso aconteceu na costa do Vietnã: minas marítimas explodiram misteriosamente. Mais tarde, a ciência descobriu que esse foi um dos efeitos de uma forte tempestade solar que atingiu a Terra naquele ano.

 1989

Em 1989, outra forte tempestade solar deixou milhares de canadenses sem eletricidade por horas, além de cortar todas as comunicações via rádio do país. Apesar de ter provocado grandes inconvenientes ao Canadá, auroras espetaculares puderam ser vistas.

Uma tempestade solar pode extinguir a Terra?

Ainda de acordo com com o artigo da Sociedade Científica, uma tempestade solar não seria capaz de destruir a Terra mas, talvez, de causar um apocalipse, já que a sociedade atual é extremamente dependente da eletricidade e da internet.

Segundo o site, uma tempestade muito forte poderia queimar redes elétricas e de internet pelo mundo todo, além de destruir computadores e smartphones, fundamentais para entregar serviços básicos de saúde, saneamento e educação, por exemplo.

Danos drásticos como esses são muito improváveis e, de acordo com a Sociedade Científica, nenhum evento violento vindo do Sol deverá atingir o planeta nos próximos milhões de anos.

Gostou de conhecer essa curiosidade científica sobre o Sol? A Órigo Energia apoia a ciência e a democratização tecnológica. Por isso, no nosso blog, você consegue acompanhar diversos conteúdos sobre inovação, energia, economia e consumo consciente. Clique aqui e veja!

Assine nossa
newsletter