Microgeração e minigeração de energia

Microgeração e minigeração de energia são conceitos relativamente novos no Brasil. As atividades foram regulamentadas pela Resolução Normativa n.º 482, de 2012, da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e, mais recentemente, atualizadas na Resolução Normativa n.º 1.059, do mesmo órgão.

À medida que a necessidade de novas fontes de energia limpas e sustentáveis aumenta, as modalidades de microgeração e minigeração se destacam como opções viáveis e eficientes.

Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto, entendendo melhor os conceitos, como funcionam e as suas diferenças!

O que é microgeração de energia?

A microgeração de energia refere-se à produção descentralizada de energia elétrica, a partir de fontes renováveis e em pequena escala, com potência instalada menor ou igual a 75 kW. Entre as fontes renováveis, estão energia solar, eólica e hídrica. 

A microgeração possibilita que residências e pequenos negócios gerem parte ou toda a eletricidade necessária de forma sustentável.

O que é minigeração de energia? 

A minigeração de energia, por sua vez, é um sistema que produz energia elétrica em maior escala do que a microgeração, com potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 5 MW.

Essa modalidade é comumente utilizada por indústrias, estabelecimentos comerciais e condomínios para suprir parte da demanda energética.

Qual a diferença entre microgeração e minigeração? 

A principal diferença entre microgeração e minigeração está na escala da produção de energia. Enquanto a microgeração é voltada para consumidores de menor porte, a minigeração atende a demandas maiores, sendo uma solução eficiente para estabelecimentos comerciais e industriais.

Ambas compartilham a característica de utilizar fontes renováveis para gerar eletricidade, contribuindo para a sustentabilidade.

Como funciona o sistema de compensação de créditos de energia? 

O sistema de compensação de créditos de energia é um benefício adotado em diversos países para incentivar a geração distribuída. No contexto da microgeração e minigeração, ele permite que o excedente de energia produzido seja injetado na rede elétrica, gerando créditos.

Esses créditos podem ser utilizados em momentos de menor geração, compensando o consumo da rede convencional. Essa prática fomenta a adesão a sistemas de geração sustentável.

O sistema de compensação de créditos de energia, ao estimular a geração distribuída, fortalece ainda mais o apelo dessas soluções como opções sustentáveis no cenário energético atual.

Como posso me beneficiar dos créditos de energia solar?

No Brasil, empresas pioneiras, como a Órigo Energia, permitem que você economize na conta de luz por meio do crédito de energia solar. O funcionamento é simples, e você não precisa instalar um sistema fotovoltaico nem mesmo realizar obras ou pagar taxas iniciais.

Toda energia é produzida nas fazendas solares, em regiões remotas e especialmente desenvolvidas para a captação dos raios solares. Diversos painéis são instalados e geram a energia solar que será injetada na rede da sua concessionária de luz.

Depois, a distribuidora desconta do seu consumo mensal os créditos gerados pelo seu plano Órigo. E o melhor: além de utilizar uma fonte de energia limpa, você ainda pode economizar, pois sua conta pode até vir ZERADA com os benefícios e descontos do Clube Órigo.

Economize agora: conheça a Órigo Energia!

Assine nossa
newsletter