Energia solar para condomínios: como funciona 

A energia solar é conhecida pelos mais diversos atributos positivos, entre eles estão: ser limpa, barata e renovável. Tempos atrás, para se ter energia solar em condomínios era preciso investimento em painéis solares, gastos com obras e manutenção do equipamento. 

Hoje, algumas empresas revolucionam o mercado, tornando o acesso à fonte energética bem mais simples e acessível. Para saber como funciona a adesão desse tipo de energia, continue a leitura!

O que a lei diz sobre energia solar para condomínios?

Em 2015, a Resolução Normativa nº 687/2015, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulamentou e estabeleceu normas para microgeração e minigeração distribuída, além de sistemas de compensação de energia elétrica. 

Entre os avanços, algumas alterações significativas favoreceram o uso de energia solar em condomínios, por exemplo: 

  • geração compartilhada entre consumidores de condomínios, cooperativas e consórcios;
  • adesão de novas modalidades de autoconsumo remoto e geração compartilhada;
  • aumento do limite de minigeração de 1 MW para 5 MW;
  • compensação de créditos entre matrizes e filiais de empresas.

Entretanto, para a instalação de painéis solares fotovoltaicos nesse caso, é preciso respeitar algumas normas, como o Artigo 1341 da Lei nº 10.406. O regulamento institui que a realização de obras depende de voto de dois terços das propriedades, se voluntárias e, se úteis, de voto da maioria dos condôminos. 

Já a instalação individual de painéis solares em residências possui diversas limitações, como as estruturais, além de regras que podem variar entre os condomínios. A boa notícia é que é possível ter energia solar em apartamento, sem a necessidade de obras e investimento em painéis. Contaremos a você nos próximos tópicos.

Quais são os tipos de energia solar para condomínios? 

A energia solar para prédios pode ser encontrada em três diferentes formas. Entretanto, em duas delas, é preciso um alto investimento em equipamentos e obras, além de gastos com tempo e outras questões burocráticas. 

Existe uma nova opção que vem ganhando espaço e permite ter acesso a essa fonte energética sem a necessidade de gastos. Aprenda agora sobre cada uma dessas modalidades:

Instalação de painéis solares em apartamentos

Como citamos, a instalação da energia solar dependerá de diversos fatores, um deles é a estrutura. É preciso espaço disponível para a instalação dos equipamentos, em alguns casos de varandas ou coberturas. 

Outro impeditivo pode estar relacionado às normas do condomínio. Alguns podem não permitir a instalação do equipamento nos espaços disponíveis, o que pode dificultar ou mesmo impedir o processo.

Caso autorizado, é preciso realizar a aquisição de todos os equipamentos, incluindo os painéis solares e o custeio das obras, o que pode demandar alto investimento e tempo.

Instalação de painéis solares no condomínio

A segunda alternativa é a instalação dos painéis solares para uso coletivo. O processo leva tempo, uma vez que é preciso seguir as normas citadas anteriormente, sendo necessária a aprovação dos outros moradores do condomínio. Assim como na primeira opção, é necessário adquirir equipamentos, realizar obras e a manutenção. 

Assinatura de energia solar

A terceira opção, conhecida por ser mais simples e econômica, é a assinatura de energia solar. Assim como os serviços de streaming que são consumidos por grande parte dos brasileiros, este serviço foi pensado para facilitar a vida e, também, gerar economia mensal na conta de luz dos assinantes. 

Funciona da seguinte forma: toda eletricidade é gerada em grandes áreas com alta incidência de sol, essas áreas são chamadas de fazendas solares. O pagamento da assinatura diz respeito à utilização de créditos. Eles são injetados na rede da concessionária de luz e chegam até as casas e empresas sem obras ou instalações. 

Por se tratar de uma modalidade de geração de energia renovável, garante uma economia mensal na conta de luz, tornando atrativa a sua utilização.

Como ter energia solar em condomínio sem gastar muito?

A melhor forma de se ter energia solar em condomínio sem gastar muito é por meio da assinatura de energia solar. A alternativa é prática, democrática e sem burocracia. Uma empresa que fornece a assinatura é a Órigo Energia, que facilita todo o processo de contratação, permitindo que o processo seja feito 100% digital.  

A partir disso, a distribuidora desconta do seu consumo mensal, o equivalente aos créditos do seu plano de assinatura. Somadas, a fatura da assinatura e o valor residual da conta da distribuidora, você terá todos os meses uma conta de luz mais econômica.

Quais as vantagens da energia solar para condomínios?

Além de contribuir com um movimento sustentável, levar energia solar para seu condomínio traz diversas outras vantagens. Conheça agora algumas delas:

Fonte de energia limpa

Toda a operação que envolve as fazendas solares têm baixo impacto ambiental, sem prejudicar o ecossistema e sem a emissão de gases poluentes na atmosfera. Os painéis solares também possuem longa vida útil, sendo utilizados por até 30 anos, além de serem feitos de materiais que podem ser reciclados.

Economia na conta de luz

A energia solar é advinda de uma fonte natural, gratuita e inesgotável, o sol, utilizando equipamentos que demandam baixa manutenção. Essa economia acaba sendo repassada ao consumidor que, no fim das contas, tem uma diminuição garantida na conta de luz. A economia pode chegar ao equivalente a 10% por mês.

Liberdade de escolha

Um serviço que, habitualmente, não permitia escolhas, agora dá a liberdade de você escolher a fonte de energia que irá abastecer a sua residência, empresa ou condomínio. 

Sem taxa de manutenção e sem surpresas

Ao escolher Órigo Energia, seu condomínio não precisa se preocupar com taxas e outras surpresas desagradáveis na conta. Outra facilidade é poder gerenciar a fatura digitalmente por meio do aplicativo ou site.  

Viu como a energia solar em condomínio residencial tem muitas vantagens? Comece a economizar já! Conheça a Órigo Energia e peça agora!

Referências

Artigo 1341 da Lei nº 10.406 de 10 de Janeiro de 2002 | Jusbrasil

Agência Nacional de Energia Elétrica | ANEEL

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 687/2015 | ANEEL

LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 | camara.leg.br

Assine nossa
newsletter