5 dicas para não cair em golpes financeiros na internet

Inventado em 1990, o famoso Campo Minado foi um dos primeiros jogos de computador. O tabuleiro virtual escondia armadilhas e os jogadores tinham que desarmar um campo de minas clicando em quadradinhos: se clicasse onde havia uma bomba escondida, o jogo acabava. 

Mais de 30 anos se passaram, a internet revolucionou a nossa relação com computadores e expandiu as nossas conexões com os smartphones. Ainda assim, navegar pela internet e pelas redes sociais parece simular a mesma experiência do Campo Minado.

Precisamos estar 100% vigilantes com nossos cliques, já que somos bombardeados por anúncios e mensagens que podem ser armadilhas montadas para nos dar golpes financeiros. 

Talvez você já tenha passado por isso, ou conheça alguém que já. Então você sabe: clicar no lugar errado pode cobrar um preço muito alto. 

Estamos cada vez mais conectados, resolvendo tarefas, fazendo transações financeiras e tomando decisões importantes pela internet. Conhecer os maiores perigos virtuais e ter alguns cuidados extras é um bom caminho para navegar pela internet sem correr tantos riscos. 

Internet: campo minado

Já faz tempo que as tentativas de fraudes na internet estão espalhadas por aí. De uns tempos pra cá, estão se sofisticando e tornando mais difícil a navegação segura e tranquila pelas páginas e redes sociais. 

Segundo dados da empresa de cibersegurança PSafe, o Brasil registra mais de 1000 tentativas de golpes financeiros na internet por hora. No primeiro semestre de 2022, foram mais de 5 milhões de tentativas de fraude – uma quantidade que representa o dobro das ocorrências de 2021! 

Com essa crescente, fica claro que precisamos estar cada vez mais preparados para identificar os perigos e se comportar com segurança na internet.

Principais tipos de golpe

Boletos falsos

Receber boletos virtualmente é um hábito comum: empresas enviam o boleto por email para facilitar o acesso e ainda diminuir o gasto com papel. O que seria uma prática sustentável se tornou uma brecha para criminosos, que se passam por essas prestadoras de serviço e criam boletos falsos. Ao efetuar o pagamento para um código de barras com outro destino que não seja o pagamento da fatura, o golpe é aplicado com sucesso. 

Sequestro de conta de Whatsapp

A invasão ou clonagem de contas de WhatsApp se tornou um dos métodos mais comuns e lucrativos dos últimos tempos. Com acesso a todos os contatos, os criminosos se passam pelo dono do celular e passam a ter o caminho aberto para enviar mensagens para pessoas pedindo dinheiro. Por muitas vezes, quem recebe as mensagens não identifica que se trata de um golpe e acaba transferindo o dinheiro para uma conta de terceiros. 

Baiting

No caso do baiting (ou isca), os golpistas fazem uma oferta sedutora mas que não passa de uma armadilha. Ao atiçar a curiosidade, o usuário clica no anúncio para fazer um download de filme, por exemplo, mas o que está sendo baixado na verdade é um vírus, que pode danificar profundamente o dispositivo. 

Phishing

A lógica é semelhante ao Baiting: com uso de mensagens enganadoras, um e-mail ou um SMS de celular atrai o clique, que não leva para a página prometida. Na realidade, o dispositivo é invadido com a intenção de se obter todas as senhas possíveis, desde e-mails e redes sociais até mesmo bancos. 

Dicas para se proteger

Desconfiar sempre

Pode parecer uma dica muito superficial, mas essa é a regra de ouro para qualquer atividade na internet. Precisamos estar vigilantes: assim, estaremos um passo à frente dos golpistas. Com esse pensamento constante, outras práticas serão ainda mais efetivas. Valorize seu clique: pensar que cada clique pode ser perigoso é um bom começo. 

Checagem das informações e da reputação das empresas

Para embasar e justificar a desconfiança, podemos nos habituar a sempre pesquisar as informações de determinado site. Há diversos sites que reúnem opiniões de outros consumidores sobre marcas e empresas, como o Reclame Aqui e o Consumidor.gov.br. Perceber que outras pessoas já reclamaram do serviço ou sofreram com algum golpe relacionado àquele site é um grande sinal de alerta. 

Verificação em duas etapas

Como a obtenção ilegal de senhas é um dos métodos mais comuns atualmente, manter uma segunda forma de verificação da sua identidade é dobrar a segurança. A maior parte dos acessos de login já possuem essa opção. Ao ativá-la, ter só a senha não será suficiente para acessar a conta, seja de e-mail, Whatsapp, bancos ou redes sociais. Será exigido uma outra forma de autenticação, como o envio de um SMS ou um outro código de segurança. Acessar suas contas pode se tornar mais demorado e menos prático, mas lembre-se: se é mais burocrático para os usuários, também será  muito mais difícil para os golpistas. 

Proteja suas senhas

Geralmente, usamos senhas de fácil memorização e replicamos as mesmas em diferentes acessos. Pode ser bom por um lado, mas também é um atalho para criminosos, que podem conseguir invadir diversos sites com a obtenção de uma única senha. 

Um caminho para evitar esse problema é o uso de senhas muito complexas (com caracteres especiais, por exemplo) e específicas para cada site. 

Memorizar isso tudo seria uma missão quase impossível e os gerenciadores de senhas fazem isso ser mais simples. Com um acesso a esse gerenciador, todas as senhas estarão disponíveis e prontas para serem usadas exclusivamente por você.

Antivírus 

Por fim, o mais clássico de todos os meios de proteção. Ter um antivírus instalado no computador e no celular é sempre uma garantia extra de segurança. Podemos estar sempre atentos para não clicar em anúncios maldosos, mas mesmo assim as invasões podem acontecer. Ter uma barreira extra de segurança é sempre uma boa alternativa.

Falar de tantos perigos virtuais pode gerar alguns receios sobre o futuro, mas a tecnologia promove muitas outras ferramentas positivas para o planeta! Inovações são fundamentais para construir soluções indispensáveis para tempos mais sustentáveis para todos.  

Por isso, se você deseja se proteger contra gastos inesperados, a solução é contar com a Órigo. Afinal, chega de susto no boleto de luz no fim do mês, com a energia solar, além de economizar mensalmente na conta de luz,  você ainda ajuda o planeta. 

Assine nossa
newsletter