Potência instalada e energia gerada: entenda a diferença

Potência instalada e energia gerada: entenda a diferença

20/08/2021

Recentemente, o Brasil atingiu 1 GW de capacidade instalada de energia renovável. Isso mostra que estamos caminhando para um avanço significativo em relação ao setor de energia no País, já que seguimos produzindo cada vez mais eletricidade com fontes limpas. Mas, antes de comemorarmos a boa notícia, você sabe o que significa potência instalada e a diferença entre esse tipo de potência e energia gerada

Potência instalada 

A potência instalada, ou capacidade bruta (kW), é o que determina o porte da central geradora, ou seja, é a soma das potências nominais, caso todos os equipamentos estejam ligados e operando ao mesmo tempo. Então, quando nos referimos à potência instalada de energia solar, estamos falando da soma da potência dos painéis solares na geração distribuída em residências, negócios, indústrias, entre outros, atuantes no país.

Atualmente, os estados que mais se destacam na categoria solar são: Minas Gerais com 1142,9 (MW), São Paulo com 793,8 (MW) e Rio Grande do Sul com 785,0 (MW), segundo o infográfico da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), atualizado em 1 de agosto de 2021.

Energia renovável na Matriz Elétrica Brasileira 

Segundo um recente levantamento do ​​MME (Ministério de Minas e Energia), a capacidade instalada em energia solar fotovoltaica cresceu 66% no Brasil em 2020. Atualmente, cerca de 48% da energia produzida no País vem de fontes renováveis. A energia eólica representa 10,9%, enquanto a energia solar corresponde a 2%. A previsão é de que até o final do ano 2,9% sejam atingidos. 

Nos últimos três anos, o setor de energia solar centralizada cresceu 200% e o de solar distribuída mais de 2.000%. Contudo, o número ainda é baixo considerando que o Brasil é um dos países com maiores potenciais da América Latina pela riqueza de recursos energéticos renováveis.

Vamos entender também como funcionam as potências nos eletrodomésticos e tomadas?

Em uma casa ou comércio, a parte elétrica é uma das principais e mais delicadas a serem manuseadas na edificação. Por isso, é importante entender como a energia é distribuída, qual a potência e a carga instalada no imóvel que habitamos ou utilizamos.

Um exemplo é quando pensamos em mudar o lugar de alguns eletrodomésticos, mas, na hora, surge aquela famosa dúvida: “será que é 220v ou 110v?”. É nesse momento que a potência instalada das unidades geradoras entram em ação, que, nesse caso, são as tomadas da sua casa.

Sabemos que o que gera a potência instalada é o cálculo das potências nominais, mas, de onde vem essa soma? É simples, ela vem dos seus aparelhos eletrodomésticos. Todo equipamento que depende de energia para funcionar carrega desde a fábrica uma “tensão nominal”, que, basicamente, é o potencial de suporte do aparelho.

Por isso, não se deve ligar um aparelho cuja tensão nominal de fábrica é 110v em uma tomada de potência instalada de 220v, pois, se o mesmo for submetido a uma voltagem superior do que é capaz de suportar, provavelmente será danificado. 

Agora, caso um aparelho cuja tensão nominal de fábrica é 220v seja ligado em uma potência 110v, ele será subutilizado; consumirá mais energia que o necessário e isso pode interferir na sua vida útil, já que ele trabalharia o dobro para entregar a performance desejada. 

Leia também: Hidrogênio verde: o que é e seus benefícios 

Energia Gerada e Energia Injetada

Sabendo o que é potência instalada podemos ir para o próximo tópico: o que é energia gerada e qual a diferença dela  para energia injetada? 

Energia Gerada:

Antes de tudo, devemos saber que o conceito de energia gerada é basicamente o que o nome nos informa. Está relacionada à soma da produção de energia de cada uma das unidades ligadas ao ponto de conexão com a rede de distribuição ou com a rede básica, ou seja, a rede responsável pelo caminho que a energia gerada pela concessionária percorre até chegar a sua casa. 

Gerada por uma rede elétrica, eólica, solar ou fotovoltaica, quando ligada diretamente ao sistema de distribuição, a energia é entregue a você, a depender do sistema adotado pela unidade ou rede de distribuição. 

Energia Injetada:

Energia injetada não é a mesma coisa que energia gerada. Por mais que ambas conversem, elas têm propósitos e funções diferentes. Quando você instala ou utiliza um sistema de distribuição de energia solar (no caso, o fotovoltaico, gerado a partir de recursos naturais), existe algo chamado “geração junto à carga”. Isso significa que, enquanto você consome energia, você também a gera. 

Esse processo acontece durante o dia. A energia é gerada a partir de um horário na parte da manhã até algum horário na parte da noite, fazendo que ela tenha um processo diário de geração de energia. 

Após suprir o consumo de energia, o excedente será injetado na rede da concessionária que distribui a energia solar. Nesse caso, a concessionária registra apenas a energia injetada, assim você consegue saber quanto você consumiu durante o dia. 

Leia também: Entenda o que é transição energética e sua importância 

Brasil alcança 1 GW de capacidade instalada 

Devido ao crescimento da energia solar e de outras fontes renováveis no Brasil, o país chegou em 2021 ao patamar de 1,007 GW (Gigawatt) de capacidade instalada, segundo os dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), apontados pelo Canal Energia. Pelo quarto mês consecutivo, a fonte eólica é a que mais cresce, chegando à marca de 218,45 MW de potência instalada. 

Em relação ao setor de energia solar, em 2021, o país atingiu 1 GW de Geração Distribuída. Essa marca foi conquistada ainda nos primeiros cinco meses do ano. O número representa mais de 40% da potência solar de 2020, quando 2,56 GW haviam sido computados no sistema da ANEEL.

Caso os números obtidos nos primeiros cinco meses deste ano continuem constantes, o Brasil pode atingir níveis similares ou superiores aos de 2020, havendo, portanto, a possibilidade de este ano ser categorizado como o ano de maior geração de potência solar. Atualmente, o país se aproxima da marca de 6 GW de potência instalada, o que representa um avanço, mas ainda menos expressivo que o dos nossos vizinhos. 

Crescimento da energia solar no Brasil

A Global World Energy Council (GWEC), organização internacional que representa o setor de energia eólica em mais de 80 países, divulgou em 2017 o Global Wind Statics”, com dados que apontam o avanço na capacidade de geração distribuída e instalada em relação ao crescimento mundial de energia renovável. Segundo o documento, o País havia ingressado em nono lugar no ranking mundial de potência instalada na época.

Em 2020, o País também ocupava o nono lugar no ranking mundial de capacidade instalada solar fotovoltaica, somando 3,1 de MW (Megawatt). E, com a recente notícia de que chegamos a 1,007 de GW de geração distribuída, é apenas uma questão de tempo até que o Brasil possa se tornar referência e se destacar, ainda mais devido ao crescimento na utilização de fontes renováveis no País. 

Desde 2012, o setor de energia solar no Brasil gerou mais de R$ 51,3 bilhões em novos investimentos privados, 292 mil novos empregos, mais de R$14,4 bilhões em arrecadação de tributos e evitou mais de 10,7 milhões de toneladas de CO2 (dióxido de carbono), segundo a ABSOLAR.

Conquistar 1 GW é uma evolução. Mas o Brasil tem potencial para estar entre os melhores quando o assunto é energia gerada a partir de recursos naturais. Por isso, estamos aqui para tornar concreta essa realidade. Que cada vez mais brasileiros possam escolher de onde vem sua fonte energética e use Energia Para Mudar o mundo. Vamos nessa juntos?

Compartilhe nas redes sociais

Matérias Relacionadas

Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, analisar tráfego e proporcionar uma experiência mais segura para os nossos usuários. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações. Aceitar