A história da energia solar no Brasil

A história da energia solar no Brasil

07/08/2020

A energia solar fotovoltaica cresce cada vez mais no Brasil; segundo dados da Aneel, essa modalidade de geração de energia elétrica cresceu, nos últimos 7 anos, em média 151% ao ano. Apesar de todo esse crescimento, ainda é um mercado que pode ser muito melhor explorado, já que é relativamente novo no Brasil. As placas fotovoltaicas que conhecemos hoje foram inventadas na década de 50, mas a primeira usina solar só foi instalada no Brasil em 2011.

Um acontecimento importante relacionado a esse setor no Brasil foi a instalação da primeira usina solar do país com capacidade de gerar energia em escala comercial. Ela foi construída em 2011 em Tauá, uma cidade do sertão do Ceará. A Agência Reguladora do Estado do Ceará (ARCE) indica que a usina distribui cerca de 1 megawatt, o suficiente para fornecer energia para mais de mil famílias.

Mas foi em 2012 que as coisas começaram a mudar de fato. Naquele ano, foi publicada a Resolução Normativa nº 482, ou RN/482. Essa resolução, instituída pela Aneel, permite que o consumidor possa gerar sua própria energia conectada à rede de distribuição. Ou seja, viabiliza tanto a produção por microgeradores, como painéis solares nos telhados dos imóveis quanto por minigeração, como a que acontece nas Fazendas Solares da Órigo. Ela também cria o sistema de créditos energéticos e estabelece os critérios necessários para a conexão de sistemas à rede.

A partir daí, o crescimento do setor disparou. Se em 2012 a potência instalada no país todo era de 7 MW, em 2020 o Brasil alcançou a marca de 6 GW, ou 6.000 MW, de acordo com dados da ABSOLAR. A Associação também afirma que o mercado de energia fotovoltaica já trouxe mais de 31 bilhões de reais em novos investimentos e gerou mais de 180 milhões de empregos desde 2012. O crescimento é tanto que em 2020 o Brasil saltou para o 16º lugar do ranking mundial de energia fotovoltaica feito pela International Renewable Energy Agency (IRENA) e atualmente está entre os 20 países líderes em capacidade instalada. Em 2017, ocupávamos a 27º posição. 

Além da RN/482, o governo também instituiu outras medidas para incentivar o uso de energias renováveis, como a isenção de IPI ou ICMS, apoio do BNDES e redução do Imposto de Importação. 

Apesar de já ter observado um crescimento significativo, essa expansão pode ser ainda maior. Segundo o Atlas brasileiro de energia solar publicado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) no local menos ensolarado do Brasil é possível gerar mais eletricidade solar do que no local mais ensolarado da Alemanha, um dos países mais avançados no uso dessa energia. 

Por isso, a Órigo tem como compromisso massificar o uso de energia renovável no Brasil. Além de ampliar o consumo de energia limpa, nossas Fazendas Solares e Fazendas de Biogás podem ser uma ótima opção de economia para o seu negócio.

Compartilhe nas redes sociais

Matérias Relacionadas

Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, analisar tráfego e proporcionar uma experiência mais segura para os nossos usuários. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações. Aceitar